Siga-nos no instagram e fique por dentro do dia a dia do Grupo Studio

RECEBA NOSSO CONTEÚDO DE FORMA GRATUITA DIRETAMENTE NO SEU EMAIL

Grupo Studio Franquias Studio LawA advocacia vai acabar?

A advocacia vai acabar?

As novas tecnologias, especialmente a inteligência artificial, provocaram uma revolução na maneira como muitas profissões são vistas no mercado. Tem se cobrado dos profissionais muito além do puro conhecimento acadêmico e teórico, sendo essencial o conhecimento sobre marketing, prospecção de clientes e gestão. Observa-se o mesmo cenário na advocacia, atualmente. 

Portanto, os advogados devem atualizar-se conforme as novas tendências do mercado, implementando os recursos de tecnologia da informação e inteligência artificial, de forma que favoreça seus conhecimentos técnicos. Cada vez mais tem se percebido a necessidade de advogados, tanto os de início de carreira, quanto os já atuantes, aprenderem sobre marketing jurídico e gestão de escritórios de advocacia, para que possam manter a competitividade e o diferencial dos serviços advocatícios, frente à tantas inovações. 

Diante destas mudanças, tem-se questionado se a advocacia vai acabar, pois estão sendo desenvolvidos softwares jurídicos e até mesmo robôs advogados, que são capazes de analisar processos judiciais, elaborar petições, propostas de acordos e simulações de prováveis sentenças. 

Logo, o futuro dos profissionais dito medianos pode estar ameaçado, visto que o mercado, nos próximos anos, terá espaço somente para os advogados que saibam se destacar, oferecendo diferenciais que vão além da programação tecnológica destes novos softwares.

Por outro lado, analisando a presença da inteligência artificial na advocacia, sob um novo viés, foi levantado o debate a respeito da chamada advocacia 4.0, que é composta por profissionais que conseguem se inserir neste cenário tecnológico avançado, de forma que faça a tecnologia trabalhar a favor da advocacia, e não contra. 

Portanto, o advogado que souber identificar as principais funções destes softwares jurídicos, que permitem o atendimento diferenciado e individualizado ao cliente, irão se beneficiar das novas tecnologias. A tecnologia estará constantemente presente no dia a dia dos advogados, portanto, é crucial que os profissionais adotem uma postura de inovação, e não de temor, permitindo que a inteligência artificial torne-se uma aliada.

O desenvolvimento de softwares jurídicos

O software jurídico, que foi pioneiro no desenvolvimento do uso da inteligência artificial na advocacia, é o sistema Watson, plataforma criada pela startup canadense Ross Intelligence. 

O Watson possui as funções de ouvir e decifrar a linguagem humana, proceder com o rastreamento de 10 mil páginas e documentos online por segundo, além de formular documentos, petições, e propostas de acordo. Portanto, o Watson conta com uma capacidade de interpretação e construção lógica inimaginável, que tem surpreendido muitos profissionais, de todos os países do mundo.

O Watson foi criado em 2016, com a proposta de auxiliar nas pesquisas rotineiras de um escritório de advocacia. Dessa forma, à medida que o sistema foi sendo amplamente utilizado, tornou-se mais sofisticado, possibilitando que o programa fornecesse respostas cada vez mais completas. 

Percebe-se, atualmente, que seus algoritmos permitem que o software desenvolva variadas modalidades de petições, redija documentos completos, elabore propostas de acordos, e até mesmo preveja qual será a provável sentença, de acordo com as peças e provas apresentadas no processo. 

Além disso, o programa também conta com um sistema de pesquisa de mudanças na legislação vigente, e julgamentos conforme diferentes tribunais, que embasam a construção da memória do software, que elaborará as peças e documentos em conformidade com o que já se viu em processos judiciais anteriores.

O Watson tem sido utilizado por inúmeros escritórios de advocacia, inclusive do Brasil, auxiliando no dia a dia dos profissionais. Com a inteligência artificial, as atividades cotidianas dos escritórios tornam-se mais facilitadas, diante da possibilidade de se pesquisar jurisprudências, novas mudanças na legislação, bem como julgamentos de diferentes tribunais. 

As perspectivas para os profissionais da advocacia

Embora os softwares e robôs facilitem o dia a dia dos escritórios de advocacia, tem sido amplamente debatido sobre se a advocacia vai acabar, pois estes softwares, em muitas funções, substituem a ação humana. 

Percebe-se, portanto, que para os profissionais que contam com apenas o conhecimento básico da legislação, a presença da inteligência artificial representa uma ameaça. Dessa forma, advogados iniciantes e também os já atuantes de longa data, devem se atualizar, buscando oferecer aos clientes muito mais que apenas conhecimento jurídico-teórico. 

As habilidades inerentes à advocacia 4.0

Para os profissionais da chamada advocacia 4.0, que se utilizam da inteligência artificial e das novas tecnologias como aliadas, existem algumas habilidades, que serão inerentes a estes advogados. 

Espírito empreendedor 

Para que advogados se destaquem no mercado, é necessário saber não somente como conduzir com precisão um processo judicial, mas também como fazer um escritório crescer e adquirir autoridade frente à concorrência. 

Portanto, o dito empreendedorismo jurídico ganha espaço neste cenário, sendo requisito essencial dos profissionais da atualidade. Saber gerir o escritório, dispondo de uma equipe multidisciplinar, é um dos grandes diferenciais dos advogados de maior destaque.

Marketing jurídico 

O marketing jurídico, compreendido na própria atividade empreendedora, é outro requisito de importância para escritórios de advocacia de sucesso. Os profissionais devem adotar meios eficientes de tornar os seus serviços conhecidos, por sua especialidade, qualidade e eficiência. É fundamental que o escritório projete um plano de marketing, que permita a maior prospecção de clientes, dentro dos limites estabelecidos pelo Código de Ética da OAB.

Especialização 

Especialmente com a presença crescente da inteligência artificial, para que os advogados se destaquem e mantenham-se em ascensão no mercado, é fundamental que se especializem em uma determinada área. A nova era da advocacia demanda por profissionais que sejam especialistas em um ramo bem definido, oferecendo um serviço diferenciado e especializado, desde o atendimento inicial, até o fim do trâmite processual. 

É essencial que os advogados busquem se atualizar, renovando seu embasamento teórico. Com as tarefas que são executadas pelos softwares jurídicos e pelos robôs advogados, os profissionais medianos serão facilmente substituídos, sendo estes que se veem ameaçados diante desta revolução tecnológica.

Presença nas redes sociais 

Na onda do constante fluxo de informações, empresas têm garantido a presença nas redes sociais, para atrair novos clientes e fidelizá-los, demonstrando as principais características e diferenciais de seus produtos ou serviços. O mesmo deve ser feito no âmbito da advocacia 4.0. 

Escritórios de advocacia devem possuir perfis em diferentes redes sociais, de forma a atingir públicos variados. Através deste espaço, o profissional terá a oportunidade de mostrar seus conhecimentos e sua especialidade, tornando-se conhecido por sua eficiência prática.

A automatização de processos

A tecnologia tem sido amplamente utilizada para automatizar processos, tanto nos fóruns e tribunais, quanto nos próprios escritórios de advocacia, através dos softwares desenvolvidos. Portanto, os advogados devem se habituar a esta nova realidade, adequando suas rotinas de atividades profissionais. 

O uso dos softwares permite maior celeridade nas atividades corriqueiras, garantindo a organização de documentos, pesquisa de legislação e jurisprudência, bem como a elaboração de variadas modalidades de peças processuais e documentos, simplificando o dia a dia do escritório. 

Através dos algoritmos, o sistema do software jurídico constrói padrões, conforme os casos e decisões semelhantes vão sendo apresentados. Assim, este recurso propicia até mesmo a padronização da jurisprudência nacional, de acordo com o avanço de sua utilização. Neste contexto que se percebe que os profissionais ultrapassados serão vencidos por estas máquinas, pela sua total substituição. 

A Studio Law e as alianças entre profissionais 

Como um meio de manter a competitividade e a prospecção de novos clientes, celebrar alianças com outros profissionais tem se mostrado uma opção promissora e vantajosa. A Studio Law é um sistema de alianças, que proporciona a atualização e renovação de escritórios de advocacia, para os profissionais atuantes da área jurídico-tributária. 

Com mais de 30 unidades, a Studio Law conta com aliançados por todo o Brasil, fornecendo serviços de gestão de passivos tributários, due diligence tributário e diagnóstico de oportunidades.

Por meio de uma metodologia própria, que garante o acompanhamento e o feedback por cada etapa do processo, os aliançados da Studio Law conquistam destaque no mercado, utilizando-se da inteligência artificial como recurso de otimização de suas atividades. 

Deseja tornar-se aliançado da Studio Law, e conquistar novos clientes, através de uma advocacia diferenciada, aliada às novas tecnologias? Fale com um consultor e conheça a Studio Law. 

 


Leia mais:

Assista também:

 


Redação Grupo Studio