RECEBA NOSSO CONTEÚDO DE FORMA GRATUITA DIRETAMENTE NO SEU EMAIL

Grupo Studio Franquias Studio FiscalOs desafios do advogado empreendedor de se firmar no mercado

Os desafios do advogado empreendedor de se firmar no mercado

Importância de se diferenciar no mercado

Segundo dados da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), existe mais de 1 milhão de profissionais regulamentados no país. Isso mostra a importância de se diferenciar no mercado e ser um advogado empreendedor é uma solução e tanto.

No entanto, os advogados que preferem empreender precisam ficar de olho nas mudanças do mercado, pois acompanhar as tendências do marketing jurídico se torna algo crucial para a sobrevivência profissional. Aquele que não se adapta às novas tecnologias, aos conceitos administrativos e às oportunidades de negócio, tende a ficar para trás em relação à concorrência.

Neste post, trouxemos 7 grandes desafios que qualquer profissional da área de Direito precisa encarar na hora de empreender. Acompanhe a leitura e confira!

1. Estruturar um planejamento estratégico

Sem uma boa preparação antes, você há de convir que fica difícil realizar qualquer projeto em sua plenitude, principalmente na hora de empreender. O advogado que se determina a trilhar uma carreira administrativa precisa ter uma visão macro do negócio e, com isso, estruturar um planejamento estratégico para alcançar os objetivos e as metas traçadas.

Para tanto, você deve identificar qual é o seu nicho de mercado, as necessidades do público-alvo, as oportunidades e possíveis ameaças que possam surgir no atual cenário. Ter esse olhar sistêmico requer foco e uma boa distribuição das tarefas, visando ao aumento das receitas e, naturalmente, à sustentabilidade do seu trabalho.

2. Estabelecer um bom networking

Uma atividade bem-sucedida é inerente à habilidade de estabelecer boas conexões ao longo da jornada — em outras palavras, o networking profissional é um diferencial para a carreira em diversos aspectos. Seja com companheiros de profissão ou com pessoas ligadas a outras áreas, uma boa rede de contatos proporciona a troca de experiências, o aumento do conhecimento e oportunidades incríveis para evoluir como gestor.

Independentemente se agirá em feiras, simpósios, congressos ou nas redes sociais, tenha em mente que o networking é uma tática que abre portas até mesmo para prospectar clientes em potencial. Sendo assim, saiba ter proatividade, escolha as pessoas certas e procure parcerias em que ambos os lados saiam ganhando.

E-book – Negociação estratégica – como fazer negócios de sucesso e aumentar as vendas

3. Saber gerir o tempo

Uma das grandes preocupações para os profissionais do Direito é o gerenciamento do tempo — afinal, é preciso lidar com inúmeros casos e situações cada vez mais complexas. A área jurídica costuma ter o tempo escasso e caro. Tendo isso em vista, o advogado empreendedor precisa encontrar meios para organizar a agenda e dar conta de suas demandas.

Para que haja uma boa administração do tempo, você pode utilizar ferramentas de produtividade, rearranjar as tarefas cotidianas e aprender a delegar para outras pessoas as funções que sobrecarregam você. Todavia, lembre-se de fazer um checklist com tudo que precisa ser feito durante o dia e priorizar as atividades mais urgentes, conciliando a relação com todas as partes interessadas no serviço.

4. Variar as áreas de atuação

Tendo em vista os milhares de profissionais de advocacia que existem pelo mercado, torna-se um desafio se diferenciar dos concorrentes e atrair o público-alvo. Por isso, uma das soluções plausíveis que surge nesses casos é a variação das áreas as quais atua, pois terá a oportunidade de explorar uma gama de alternativas para atender os clientes da melhor maneira possível e, naturalmente, aumentar seus lucros.

Entretanto, é primordial que você avalie quais são as especificidades que estão em alta no mercado e fazer o levantamento de dados de possíveis problemas da sociedade as quais você pode contribuir com seus serviços. Torna-se crucial investir em algo que traga uma demanda latente — isto é, que aos poucos você consiga aumentar sua carteira de clientes ao direcionar os esforços nas reais necessidades deles.

5. Ter a capacidade de liderar

Desde a graduação, você já deve ter se perguntado qual o tipo de profissional que gostaria de ser no futuro. Além disso, é preciso saber de que forma pretende lidar com os colaboradores da empresa, pois é nesse momento que decidirá se opta pelo perfil de chefe ou líder.

O advogado empreendedor que demonstra ter know-how em liderança, por consequência, consegue prosperar com muito mais afinco em seu escritório. Gerir pessoas é um desafio que necessita de prática, sendo que um líder eficiente preza pela objetividade, busca o aprimoramento constante, realiza feedbacks construtivos, entre outros pontos.

6. Mostrar uma boa comunicação

Ao assumir um negócio, você deve ter em mente que todas as suas decisões precisam estar claras. Afinal, qualquer informação dúbia pode trazer sérios transtornos ao conseguir clientes e lidar com os colaboradores. Saber se expressar é uma habilidade que nem todos dominam — porém, com o tempo, é possível adquirir o conhecimento necessário para se comunicar com eficiência.

Entenda que uma boa comunicação permite ativar gatilhos mentais de autoridade e confiança, dois aspectos que reforçam sua importância no mercado. Uma pessoa comunicativa consegue prender a atenção das pessoas e obter insights valiosos para agir na hora certa e da maneira mais estratégica possível.

7. Adquirir inteligência emocional

Outro fator preponderante na vida de empreendedores de sucesso é a forma como eles reconhecem, avaliam e lidam com os próprios sentimentos e os das outras pessoas. Adquirir a tão falada inteligência emocional é algo que pode colocar você em um patamar muito à frente de outros advogados.

Muito mais do que um bom preparo técnico, torna-se imprescindível que os advogados saibam lidar com a parte emocional, evitando disputas desnecessárias e buscando as melhores soluções para os clientes. Os advogados que se relacionam bem com seus colegas de profissão e demais pessoas interessadas no negócio tendem a levar vantagem nas audiências — e, ainda, gerir com excelência o escritório.

Como vimos, para ser um advogado empreendedor de qualidade é preciso seguir essas premissas básicas. Mas lembre-se de que os desafios também correspondem à capacidade de evoluir e marcar presença no mercado.

Se você gostou do texto de hoje e quer entender mais a fundo como organizar o seu negócio de fato, aproveite que está por aqui e veja as 5 melhores práticas para os advogados empreenderem!


José Carlos Braga Monteiro

Detentor das empresas Studio Fiscal, Studio Law, Studio Brokers e E-Fiscal, o Grupo Studio apresenta serviços corporativos inteligentes com uma expertise de mais de 18 anos. Presente em todo o território nacional através de seus franqueados e aliançados, o Grupo apresenta uma grande sinergia quanto aos seus modelos de negócio.