RECEBA NOSSO CONTEÚDO DE FORMA GRATUITA DIRETAMENTE NO SEU EMAIL

Grupo Studio Franquias Studio BrokersTorne-se um especialista em fusões e aquisições de empresas

Torne-se um especialista em fusões e aquisições de empresas

Trabalhar com fusão e aquisição é uma alternativa excelente para aumentar sua renda de forma considerável

Se você é um advogado da área tributária, contador, investidor, e está interessado em oferecer um serviço diferenciado, que vai lhe destacar entre os outros profissionais no mercado, esta pode ser a opção certa.

Afinal e contas, para as empresas sobreviverem nesta economia, recorrer a fusão e aquisição, por vezes, é a melhor solução.

E todas as organizações que passam por isso precisam de profissionais que as auxiliem neste momento delicado.

A franquia  Studio Brokers  vai permitir que você ofereça este serviço diferenciado, permitindo aumentar sua carteira de clientes, e agregando valor ao seu portfólio de trabalho.

Portanto, vamos neste artigo falar tudo o que você precisa saber sobre fusão e aquisição, para que tenha uma compreensão geral desta área.

Diferença entre Fusão e aquisição

Ambos os termos significam coisas ligeiramente diferentes, então vamos compreender, primeiramente, a aplicação de cada um.

Termo emprestado do inglês “Merger & Aquisition” também conhecido como “M&A”, refere-se a um determinado aspecto da gestão estratégica das empresas.

Quando uma companhia compra outra e claramente se estabelece como sua nova dona, chamamos de Aquisição. Do ponto de vista legal, a companhia alvo (aquela que foi comprada) deixa de existir.

O comprador absorve o negócio e, se sua empresa possui ações na bolsa, elas continuam a ser vendidas normalmente. Já as ações da empresa comprada não.

O que é fusão?

No sentido mais puro do termo, uma Fusão é quando 2 empresas, geralmente de tamanhos semelhantes, concordam seguir adiante como uma companhia totalmente nova, ao invés de manter suas operações separadas. Este tipo de ação é mais precisamente referida na literatura tributária como “Fusão de iguais”.As ações de ambas as companhias não são mais vendidas e as da nova empresa entram no mercado.

Um exemplo é a fusão que existiu entre as indústrias automobilísticas Daimler – Benz e Chrysler. Quando as duas fizeram uma fusão, tecnicamente ambas deixaram de existir, para aparecer m seu lugar uma companhia totalmente nova: a Daimler Chrysler.

Podemos falar, de maneira mais ampla, que uma compra é considerada uma fusão ou aquisição dependendo da hostilidade do ato e da forma que ele é anunciado.

Em outras palavras, a real diferença está na forma que esta ação é comunicada e recebida pelos diretores, empregados e acionistas da companhia alvo.

A fusão acontece de maneira involuntária

Podemos, contudo, definir que a fusão ocorre de forma completamente voluntária pelas empresas. Enquanto a aquisição pode ocorrer involuntariamente, ou seja, sem a vontade da empresa alvo.

A partir que uma fusão ocorre, a nova entidade surge, com novo gerenciamento (geralmente reunindo os membros das empresas envolvidos) e nova estrutura de propriedade.

Por outro lado, na aquisição, uma empresa acaba assumindo toda e qualquer decisão de gerenciamento operacional da empresa alvo.

Sinergia de fusão e aquisição

Geralmente, fusão e aquisição são intrinsecamente relacionadas com:

  • Mais eficiência para obter recursos.
  • Estratégia mercadológica;
  • Obtenção de sinergia;
  • Oportunidade de mercado – quando se compra uma empresa por valor inferior ao que ela realmente vale.

E a sinergia é citada mais comumente como a força que permite maior eficiência de custo do novo negócio e uma razão para justificar a transação.

Sinergia, neste caso, toma forma de melhoria de receita e redução de custos. No caso da fusão, as empresas buscam se beneficiar do seguinte:

Redução de equipe

Como todo empregado sabe, fusões geralmente significam demissões. É necessário readaptar a equipe para esta nova realidade.

Até porque, se pensarmos, isto é absolutamente natural. Se duas empresas se unem para fazer uma, então diversos cargos vão ter que ser alterados.

7 Conceitos que você precisa dominar antes de abrir uma franquia

E isto significa economizar dinheiro de reduzir o número de membros da equipe, desde a contabilidade, até marketing e outros departamentos. Isto pode também incluir o ex CEO de uma das empresas.

Economia de escala

Sim, tamanho faz diferença. Seja para comprar material de escritório, ou um novo sistema de Tecnologia de Informação, uma empresa maior consegue economizar mais nos custos.

Fusões também podem se traduzir em mais fundos para compara equipamentos, ou o que for que a empresa necessite.

Assim como tudo, quanto maior o pedido, menor o preço que tem que ser pago. Seguindo este raciocínio, uma empresa maior tem mais capacidade de barganha no mercado, o que a permite maior margem de negociação.

Adquirir tecnologia de ponta

Para continuar competitiva em um mercado cada vez mais restrito, as empresas precisam se manter à frente quando se trata de desenvolvimento tecnológico e suas aplicações para os negócios.

Em caso de aquisições, por meio de fusão e aquisição uma empresa maior pode comprar uma menor (ou se juntar a uma) que tenha tecnologias únicas, e conseguirá mantê-la e utilizá-la como vantagem competitiva.

Maior alcance de mercado e visibilidade

Companhias comprar outras para alcançar novos mercados e aumentar ganhos e receitas.
Uma fusão pode expandir o marketing e a distribuição de ambas companhias, abrindo elas a novas oportunidades de vendas.
Fusões também podem melhorar a posição da empresa perante os investidores.
Afinal de contas, empresas maiores possuem maior potencial e facilidade de levantar verba do que as menores.

O que mais fusões e aquisições propiciam

  • Economia significativa nos custos de produção;
  • Geração de capital;
  • Entrar em novos mercados;
  • Lançar novos produtos que seriam impossíveis se por caso elas continuassem operando como entidades separadas;
  • Juntar conhecimentos técnicos e expertise;
  • Permite inovar na em várias áreas, como pesquisa e desenvolvimento, design, distribuição etc.

Oras, se o objetivo primordial de uma empresa é criar e manter clientes, a estratégia de fusão e aquisição permite acessar mais clientes, e explorar novos e maiores nichos de mercado.

O que é necessário para alcançar a sinergia em fusão e aquisição?

Porém, é importante dizer que alcançar esta sinergia que comentamos não é tão simples. Para isso, é necessário:

  • Planejamento: como as entidades combinada podem alcançar sinergia ao longo do processo;
  • Preparação e análise: uma das ferramentas que auxiliam aqui é o due diligence, processo que vai apurar se está tudo certo com ambas empresas antes da fusão ou aquisição;
  • Execução: uma vez a transação finalizada, decisões críticas tem que ser feitas. Quais são a operações que se manterão ou encerrarão? Quais colaboradores permanecerão? Entre várias outras.

Os tipos de fusões de empresa

Falando um pouco mais especificamente sobre fusões, temos que considerar os diferentes tipos que existem. Vamos a elas.

Fusão vertical

Na fusão vertical ocorre quando os negócios de ambas empresas são complementares. Isto é, elas trabalham produzindo serviços ou bens diferentes viando um determinado produto final.

Isto que dizer que as empresas necessariamente não competem uma com a outra, mas trabalham em níveis diferentes dentro de uma mesma lógica industrial.

Com a fusão vertical, é possível conseguir:

  • Maior controle sobre as atividades realizadas pelas empresas;
  • Proteção do investimento;
  • Garantir matérias primas;
  • Maior facilidade na distribuição de produtos.

Entre outros benefícios. Um exemplo clássico de fusão vertical é uma empresa automobilística que se funde a um fabricante de peças automotivas.

Desta forma, a empresa de carros consegue preços de peças mais baratos e com a vantagem de ter controle sobre o processo de fabricação.

Fusão horizontal

Já a fusão horizontal ocorre com empresas que são concorrentes, ou seja, oferecem o mesmo serviço ou bem.

Os objetivos das fusões horizontais são:

  • Criar a partir de duas empresas uma única organização;
  • Aumentar participação de mercado (o Market share)
  • Ganhar com a economia de escala;
  • Expansão da área de atuação;
  • Reduzir custos.

Esta é a maneira mais clássica de fusão, e acontece com certa frequência no mercado.

Fusão de extensão e mercado

Acontece quando duas empresas atuam no mesmo setor, mas em mercados diferentes.

Com este tipo de fusão, é permitido às duas empresas alcançar novos mercados, expandindo seus lucros.

Podemos citar como exemplo é a fusão entre a as empresas aéreas TAM e LAN Chile, que juntas se viraram LATAM, conseguindo expandir seus mercados consideravelmente.

Fusão de extensão de produto

É quando ocorre a fusão entre empresas que possuem produtos relacionados, e que operam no mesmo mercado.

Ao agrupar seus produtos, é possível alcançar maior número de consumidores, aumentando o lucro.

Conglomerado

É quando empresas com serviços ou produtos completamente diferentes se unem.

A busca pela diversificação, diminuindo desta forma o risco, e aproveitar investimentos é o que move os conglomerados. Um exemplo é a fusão entre a Moet e Chandon com a Louis Vuitton.

Uma palavra sobre aquisições

Já que estamos falando sobre fusão e aquisição, vamos nos focar neste final especificamente neste segundo termo.Assim como fusões, aquisições são ações que companhias fazem buscando economia de escala, mais eficiência e visibilidade de mercado.

Mas o que difere é que aqui uma empresa compra a outra, e isto pode ser feito de forma amigável, com ambas empresas satisfeitas com o acordo, ou de forma mais hostil.

Geralmente aquisições fazem parte da estratégia de uma empresa, visando crescimento, e percebe que é melhor continuar expandido por assumir as operações de uma organização pré-existente do que continuar crescer por conta própria.

Isto acontece porque sé difícil para uma empresa crescer sozinha sem acabar perdendo eficiência.

São duas formas pela qual a aquisição ocorre:

  • Compra de ações: o adquirente compara a maioria do capital de controle de uma determinada empresa. aqui são assumidos todos os passivos da empresa alvo, assim como os riscos que ela enfrenta no seu ambiente;
  • Compra de ativos líquidos: aqui, o capital recebido pela empresa adquirida é repassada aos seus acionistas seja por liquidação ou por dividendos extraordinários.

Alguns exemplos de aquisições:

  • A compra da Foz pela Disney;
  • A compra da Brasil Kirin pela Heineken;
  • A compra da Dafiti pela Netshoes;
  • A compra da FNAC brasileira pela Livraria Cultura.

Adquira a Franquia  Studio Brokers e torne-se um expert em fusão e aquisição de empresas

Como visto, fusão e aquisição fazem parte do dia a dia das empresas, e conhecer sobre este assunto pode ser o diferencial de mercado que você precisava.

E, ao oferecer isto aos seus clientes, você vai ter uma complementação de renda preciosa, além de incrementar ainda mais o seu escopo de serviços.

Contudo, para lhe ajudar nesta empreitada, você sempre pode contar com a Franquia  Grupo Studio, que oferece soluções corporativas inteligentes, com solidez e confiabilidade de 20 anos no mercado.

Entre agora no site do Grupo Studio e converse com nossos atendentes, que você vai pavimentar seu caminho rumo ao sucesso!


Redação Grupo Studio