A intermediação da Studio Brokers na compra e venda de empresas com dívidas

Buscando revolucionar o mercado de fusões e aquisições de empresas, a Studio Brokers terá seu modelo de negócio relançado, com novos serviços e diferenciais. Considerando as oportunidades que a compra e venda de empresas com dívidas proporciona, a Studio Brokers participará ativamente destas transações, auxiliando empresários que desejam recuperar uma empresa endividada ou em recuperação judicial, e inseri-la novamente no mercado. 

Por meio da intermediação direta, no processo de compra e venda de empresas com dívidas, a franquia se encarregará de todos os procedimentos operacionais e burocráticos, deixando o cliente livre para exercer sua atividade empresarial. 

A compra e venda de empresas com dívidas se tornou uma prática demasiadamente comum no meio empresarial, pois oferece vantagens ao investidor que opta pela aquisição. Muitos enxergam em uma empresa endividada uma oportunidade lucrativa de negócio. 

Diante de uma marca já conhecida no mercado, que possui uma reputação, clientes e colaboradores, muitos empresários vêem a possibilidade de reestruturação do zero, adquirindo a companhia por um valor relativamente baixo. 

Como resultado, pela popularização da prática de aquisições de empresas endividadas, os serviços de assistência operacional e burocrática tornou-se um amplo modelo de negócio, que atrai cada vez mais investidores da área. Neste artigo, será descrito o processo de compra e venda de empresas com dívidas, e como esta espécie de negócio pode ser altamente lucrativa.

A compra e venda de empresas com dívidas na prática

Em um primeiro momento, é fundamental estabelecer quais são os objetivos de mercado do comprador e as razões do vendedor, que o motivaram a colocar sua empresa à venda. Em muitos casos, as dívidas são o principal motivo, pois devido à inadimplência, o empresário se vê impossibilitado de prosseguir na direção do negócio. 

Portanto, o investidor que opta por adquirir uma empresa endividada deve agir com cautela, contabilizando todas as dívidas, atualizadas monetariamente, para saber se há recursos suficientes para arcar com esta operação financeira.

O contato entre vendedor e comprador é crucial para o sucesso da negociação, pois permitirá que o empresário interessado conheça a empresa, suas operações, produtos e serviços, e seus colaboradores. 

A ética e confidencialidade são esperadas nesta etapa, pois o comprador e o intermediador das negociações terão acesso às informações sigilosas da companhia, como meio de avaliação da viabilidade do negócio.

Realizadas as negociações, a próxima etapa será a de elaboração do memorando de entendimentos, onde ficará registrada toda a conversa entre comprador e vendedor, valor da aquisição da empresa, condições de pagamentos e demais termos acordados. 

Este documento garante maior confiabilidade à operação, resguardando os direitos do comprador e do vendedor. Este documento somente deve ser redigido quando as negociações chegarem em sua fase final, onde são grandes as chances de a compra ser realizada.

A função da Due Diligence neste processo

A Due Diligence consiste em uma auditoria especial, que visa garantir a veracidade de todas as informações prestadas durante as negociações, como o valor da empresa, dívidas, ativos e passivos, documentação, entre outros dados. 

A Due Diligence proporciona segurança ao comprador, através da confirmação de que poderá prosseguir com a aquisição de uma empresa. A Due Diligence será realizada pelo intermediador da negociação, que conta com os recursos necessários e profissionais qualificados para este procedimento.

O que versa o Código Civil sobre a compra e venda de empresas

A compra e venda de empresas encontra-se regulamentada no Código Civil, dentre as normas que versam sobre o Direito Empresarial. Também chamada de contrato de trespasse, a compra e venda de empresa possui previsão legal nos artigos 1.142 a 1.149 do Código Civil. 

Portanto, no trespasse há a transferência de titularidade do estabelecimento comercial, incluindo todos os bens corpóreos e incorpóreos, que sejam considerados indispensáveis à manutenção da atividade empresarial.

Para que este contrato de compra e venda de empresas produza efeitos jurídicos, em relação a terceiros, deverá ser registrado na Junta Comercial e publicado na imprensa oficial. 

Caso o vendedor não possua bens suficientes para adimplir todas as dívidas da empresa, os credores deverão consentir com a alienação, sob pena de nulidade do negócio jurídico realizado entre as partes.

Em relação aos débitos da empresa adquirida, o comprador somente será responsabilizado pelas dívidas que se encontrarem devidamente contabilizadas no contrato de trespasse, de acordo com o artigo 1.146 do Código Civil. 

Este dispositivo legal não se aplica às obrigações trabalhistas e dívidas de impostos, em conformidade com os artigos 10 e 448 da CLT, e artigo 133 do CTN, respectivamente.

Os cuidados na estipulação do contrato de compra e venda

Nesta etapa, o papel do intermediador das negociações é fundamental, pois ele deve avaliar todas as cláusulas contratuais presentes no instrumento, com a finalidade de garantir que tudo o que foi conversado, entre comprador e vendedor, estará devidamente previsto. 

Dessa forma, o intermediador garantirá que os direitos e deveres, de ambas as partes contratantes, estarão presentes no contrato, possibilitando a viabilidade do negócio.

Vantagens da compra e venda de empresas com dívidas

Quando se está interessado em comprar uma empresa com dívidas, apesar dos riscos inerentes a esta modalidade de negócio, existem vantagens nesta operação. A principal delas é a marca previamente consolidada, sendo conhecida pelo mercado e pelos consumidores. 

Comprando uma empresa, adquire-se também sua história, sua reputação, seus recursos internos e os colaboradores. Para muitos administradores, este modelo de negócio é mais vantajoso do que começar uma nova empresa, ainda desconhecida.

O relançamento da Studio Brokers

Com o objetivo de otimizar a experiência do cliente, no mercado das fusões e aquisições de empresas, a Studio Brokers terá seu modelo de franquia relançado, com um novo viés de serviços de intermediação de negócios, corretagem, due diligence, compra e venda de empresas, business banking e valuation. 

No processo de compra e venda de empresas com dívidas, a franquia se encarrega de todo o processo burocrático e operacional, garantindo, assim, o sucesso das negociações. Os franqueados ficam responsáveis pela parte comercial, prospectando novos clientes, interessados na inserção no mercado de aquisições empresariais, e encontrando empresas, que se encaixem nos perfis de cada futuro comprador. 

O modelo de franquia da Studio Brokers é uma espécie de negócio altamente lucrativa, pois o franqueado dispõe de todo o know-how da franqueadora, ideal para empresários, administradores, economistas, investidores e consultores empresariais. 

Deseja investir neste mercado, tornando-se especialista em fusões e aquisições de empresas? Seja um franqueado da Studio Brokers.

 


SUGESTÃO DE ARTIGOS

Como fazer networking

Recupere impostos: ofereça esse serviço aos seus clientes

SUGESTÃO DE VÍDEOS

Gestão de passivo tributário

WEBINAR | Advogado do Futuro – O fim do Advogado Tradicional, mito ou medo?

Artigos relacionados

Você também pode estar interessado

Hot daily news right into your inbox.