Siga-nos no instagram e fique por dentro do dia a dia do Grupo Studio

RECEBA NOSSO CONTEÚDO DE FORMA GRATUITA DIRETAMENTE NO SEU EMAIL

Grupo StudioAgronegócioOs impactos do coronavírus no agronegócio e as medidas de recuperação

Os impactos do coronavírus no agronegócio e as medidas de recuperação

Os impactos do coronavírus no agronegócio estão repercutindo em todos os estados brasileiros que exercem essa atividade econômica. A pandemia do novo coronavírus afetou todos os setores da economia mundial, reduzindo consideravelmente as receitas de muitas empresas. 

No âmbito do agronegócio, a crise do novo coronavírus resultou na queda da exportação dos produtos, como a soja, produtos florestais, grãos, entre outros. No estado do Paraná, as exportações de produtos do agronegócio reduziram em 10,1%. 

Com a queda do faturamento, os produtores se encontram diante da dificuldade de levantar recursos para a manutenção da produtividade, gerando muitos impactos negativos para o setor. 

De acordo com as previsões, a crise da Covid-19 irá afetar, inclusive, a safra 2020/21, também impactando a economia do próximo ano. O Centro de Estudos do Agronegócio da Fundação Getúlio Vargas está realizando o monitoramento dos impactos da pandemia no setor, desde fevereiro. 

Dessa forma, será possível elaborar planos de recuperação econômica para que os produtores possam se reerguer. Com a queda da exportação, a própria produção diminui, para evitar desperdícios de insumos. 

Em nível global, o declínio da economia mundial também é um fator de impacto para o agronegócio. Conforme informações da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico – OCDE para os próximos períodos, as previsões de crescimento para vários países sofreram reduções, inclusive o Brasil. 

Para a recuperação econômica deste setor, especialmente em longo prazo, produtores e investidores deverão elaborar um planejamento eficaz para a retomada das atividades. 

Neste artigo, veremos os impactos negativos da crise do novo coronavírus no agronegócio, e como os produtores poderão se reerguer.

 

As repercussões do novo coronavírus no agronegócio 

Os impactos do coronavírus no agronegócio têm resultado na queda das exportações e importações de produtos, gerando o desequilíbrio financeiro do setor. O agronegócio brasileiro é caracterizado tanto pelo comércio interno, quanto pelo externo. 

Portanto, as vendas no mercado interno também apresentam quedas, acarretando a elevação dos custos de produção, inviabilizando este modelo de negócio. A produção destes bens agrícolas, em nível industrial, encontra-se parcialmente paralisado, como medida de proteção à saúde dos colaboradores. 

Devido ao fechamento do comércio, ao cancelamento de voos e viagens de navios e outras embarcações, muitos produtores agrícolas tiveram que descartar suas produções, que seriam destinadas à exportação. 

No mercado interno, enquanto alguns commodities agrícolas sofreram uma drástica redução em seu preço, outros apresentaram elevação, dada a escassez e alta procura. 

O setor de produção de leite e a floricultura foram alguns dos mais prejudicados pela crise do coronavírus no agronegócio. Responsáveis pela geração de milhares de empregos, esses setores suspenderam a produção, apresentando quedas drásticas nas vendas.

Os efeitos do dólar diante da crise

Com a pandemia do novo coronavírus, muitas moedas, inclusive o real, se desvalorizaram, com a queda de bolsas de valores pelo mundo todo. Por sua vez, o dólar apresentou alta, por ser a principal moeda de negociação de commodities agrícolas no mercado global. 

Dessa forma, a alta do dólar foi capaz de proporcionar certa compensação financeira aos produtores, que venderam menos, mas a um preço consideravelmente maior. No entanto, a alta do dólar também possui suas repercussões negativas na importação de insumos, fertilizantes e defensivos. 

Os insumos importados também são negociados por meio do dólar, apresentando, portanto, elevação de preços.

Como se recuperar dos impactos do coronavírus no agronegócio 

Para a recuperação econômica do agronegócio, frente à crise causada pela pandemia do novo coronavírus, é fundamental que investidores do setor elaborem planos de reativação das atividades. 

A gestão será ferramenta essencial, para que o agronegócio se recupere e volte a apresentar maiores faturamentos. Diante de tantas instabilidades, que a crise da Covid-19 trouxe para a economia mundial, contar com um planejamento de ação e recuperação será crucial. 

Portanto, sendo franqueado da Studio Agro, o investidor oferece ao produtor agrícola todo o suporte necessário para passar por esta crise, e se desenvolver economicamente. 

A Studio Agro é a primeira franquia voltada especialmente para o agronegócio, visando fomentar o crescimento deste setor tão importante para a economia brasileira. 

Como franqueado da Studio Agro, o profissional do agronegócio poderá reduzir os impactos negativos da crise do novo coronavírus e, assim, ajudar o produtor a planejar sua retomada ao mercado. 


Leia mais:

Assista também:

 


Redação Grupo Studio