RECEBA NOSSO CONTEÚDO DE FORMA GRATUITA DIRETAMENTE NO SEU EMAIL

Grupo Studio Franquias Studio FiscalTipos de clientes no direito: veja quais são e como lidar com cada um deles

Tipos de clientes no direito: veja quais são e como lidar com cada um deles

O universo jurídico não está longe da necessidade de usar técnicas de atração para atender os mais diversos tipos de clientes e ampliar a sua atuação. Conhecer o público é essencial para concluir a venda de um serviço. Tem sido assim, cada vez mais, em todos os setores da economia.

Conhecer o cliente e colocá-lo no centro das atenções de um advogado pode ser a chave para o sucesso na sua carreira. Para isso, é preciso entender suas principais características e objeções.

Neste artigo, vamos abordar como costumam ser os principais tipos de clientes de serviços jurídicos e desvendar maneiras de conquistá-los. Acompanhe!

Clientes que precisam de orientação para o pagamento

A maioria dos profissionais já se deparou com esse tipo de cliente em sua carreira. São aqueles que demoram para quitar seus pagamentos, criam empecilhos e estão sempre pedindo novos prazos ou descontos. Na maioria dos casos, é possível resolver parte do problema quando há, no contrato, a exigência de um adiantamento.

Muitas vezes, é melhor perder uma oportunidade de negócio, caso ele se recuse a pagar esse sinal, do que passar muito tempo fazendo a cobrança, desperdiçando energia. O ideal é deixar claro, logo no início da negociação, que o adiantamento é parte do contrato.

Clientes que precisam de mais confiança no atendimento

Claro que o relacionamento com o seu público deve ser aberto a trocas de experiências. Mas há clientes que ultrapassam esse limite e querem interferir até nas decisões mais técnicas, tentando modificar a base da sua atuação como advogado.

O risco disso está na possibilidade de o trabalho não ficar como o esperado em função dessas interferências. Mais uma vez, vale a transparência. É preciso esclarecer como é a sua forma de atuação e o processo de trabalho. Assim, quando precisar recusar uma sugestão, a tendência é que o cliente aceite com mais facilidade.

Clientes sem limites de horário

Estar disponível ao cliente é muito diferente de atendê-lo em qualquer horário, sob todas as circunstâncias. É preciso, de forma cuidadosa, impor algum limite para o contato entre vocês se manter respeitoso para ambos.

Uma boa maneira de fazer isso, na mesma linha das anteriores, é deixar claro como será o atendimento. Caso receba mensagens em horários inconvenientes, evite parar o que está fazendo para responder. Dê o retorno no horário estipulado para o seu trabalho.

Clientes desorganizados

Sabemos que a atuação jurídica precisa de organização para que ocorra sem prejuízos. Mas nem todo cliente sabe trabalhar da mesma forma. Alguns são peritos em esquecer reuniões agendadas, têm dificuldades para reunir a documentação necessária, entre outros problemas.

Mostre a ele que, para a parceria dar certo, será preciso mais atenção a horários, acordos, contratos e documentos. Quanto a reuniões perdidas, pode constar no contrato o pagamento pelo horário agendado.

Clientes amigos

Nada impede que o cliente seja seu amigo — ou queira se tornar um. Mas é preciso estabelecer limites desde o início da operação para que não se transforme em um dos perfis que mencionamos anteriormente.

Separar a relação profissional da pessoal tornará o trabalho mais eficiente, com benefícios para ambos. Além disso, sempre vale lembrar que, se houver problemas durante o trabalho, isso não vai interferir em seu relacionamento com o cliente.

Conhecer os perfis de seus clientes e entender como eles agem, como pensam e como será o trabalho com cada um facilita a missão de segmentar a sua atuação e ampliar a sua carteira, levando seu negócio a ter mais sucesso.

Além da análise do público, também vale a pena avaliar as suas próprias habilidades e meios de se relacionar. Dessa forma, você conseguirá ter mais foco nos tipos de clientes que deseja atender, especializando-se nas áreas de atuação que eles buscarão em você.

Gostou deste conteúdo? Aproveite para entender, também, quais são os 8 tipos de serviços de advocacia mais procurados!


Redação Grupo Studio