RECEBA NOSSO CONTEÚDO DE FORMA GRATUITA DIRETAMENTE NO SEU EMAIL

Grupo Studio Franquias Studio FiscalComo ser empreendedor? As 5 melhores práticas para advogados

Como ser empreendedor? As 5 melhores práticas para advogados

Com tanta concorrência no mercado e uma crise econômica instalada em nosso país, o advogado deve estar atento às oportunidades para ganhar dinheiro e crescer na carreira. Mas tomar a iniciativa e começar a empreender nem sempre é fácil.

Pensando nisso, vamos te ensinar agora como ser empreendedor na advocacia, por meio das 5 melhores práticas de empreendedorismo. Confira!

 

1. Definir um nicho de atuação

Muito mais do que escolher uma área de atuação promissora no Direito, o advogado que deseja empreender nesse setor deve focar os seus esforços em nichos de oportunidades.

Isso não significa especializar-se em matérias que, normalmente, apresentam ações com valores mais altos, como o Direito Empresarial e o Tributário. A oportunidade que o profissional deve buscar é aquela que melhor atende o mercado no qual ele pretende atuar.

Afinal de contas, não adianta montar um escritório especializado em Direito Imobiliário, se os clientes e as possíveis demandas mais abundantes no mercado estão concentradas no Direito do Consumidor ou no Direito de Família.

 

Baixe agora grátis: Guia essencial para aumentar a rentabilidade no seu escritório de advocacia

 

2. Pesquisar o mercado escolhido

Definido o nicho, o advogado que deseja empreender deve focar no conhecimento do mercado escolhido, o que vai muito além do aprimoramento da sua área de atuação.

Com um mercado saturado de profissionais do Direito, não se destacam aqueles que só detêm o conhecimento mais aprimorado e especializado da matéria na qual atuam.

Afinal de contas, investir em cursos de especialização e pós-graduação já é um requisito básico para todos os advogados da atualidade.

O que vai diferenciar o trabalho do profissional empreendedor é a pesquisa de mercado: o advogado deve conversar com seus possíveis clientes e coletar informações relevantes para o seu trabalho.

Nesse sentido, alguns dados importantes para esse tipo de pesquisa são:

  • perfil pessoal e profissional do cliente;
  • problemas jurídicos que ele já enfrenta ou que podem surgir;
  • o que pretende o cliente ao contratar uma assessoria jurídica;
  • quais são os critérios usados pelo cliente ao contratar um advogado.

3. Construir uma imagem de credibilidade

Não adianta conhecer a fundo a área de atuação e o mercado se o advogado não conseguir transmitir esse conhecimento aos seus clientes.

Assumir uma postura de especialista na área e autoridade no assunto trabalhado atrai a atenção do público, porque transmite segurança e credibilidade nos serviços prestados.

Uma estratégia que está começando a ser usada pelos escritórios de advocacia é o marketing digital. O advogado que deseja mostrar os seus conhecimentos na rede deve produzir conteúdos ricos em informações para os seus clientes e postá-los em suas redes sociais.

É interessante, inclusive, criar um blog no próprio site do escritório e postar, periodicamente, artigos que tratem de assuntos de interesse dos seus clientes em potencial.

4. Montar estratégias com foco nos resultados

Estratégia é fundamental no mundo corporativo. Sem ela, muitos profissionais acabam atuando de forma desorganizada e aleatória e acabam gastando muito esforço, sem apresentar resultados satisfatórios.

O advogado estrategista deve criar um plano de trabalho, com objetivos e metas bem definidos, a fim de que suas ações estejam sempre voltadas para o resultado almejado.

Para tanto, o jurista empreendedor deve observar toda a sua rotina de trabalho e do escritório e analisar todos os processos executados, para montar um planejamento eficaz, aprimorando o que já dá certo e modificando o que não gera os objetivos desejados.

5. Investir em franquias

Ainda que não seja uma opção muito usual no meio jurídico, investir em franquias pode ser uma oportunidade valiosa para quem quer empreender e aplicar seu dinheiro em um negócio seguro e com alta lucratividade.

Apostar em uma franquia auxiliará o advogado a iniciar os seus trabalhos ou mudar o foco de atuação com uma marca já reconhecida e influente no mercado.

Porém, é preciso pesquisa e cautela na hora de se tornar um franqueado. O profissional deve escolher uma franquia na área que ele já tenha afinidade, verificar os seus associados e clientes e conhecer seus serviços de apoio às franquias.

Caso contrário, estará investindo tempo e dinheiro em um negócio que não trará os resultados desejados.

Agora que você já sabe como ser empreendedor na área jurídica e aprendeu as principais práticas para gerar resultados na sua atuação, que tal conhecer um pouco mais sobre o investimento em franquias? Conheça os fatores que o advogado deve levar em consideração antes de abrir uma franquia neste ebook!


Redação Grupo Studio